sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

No Baú das Minhas Recordações!




*Onde estás?*

Onde estás
Ó ser imaginado
Que eu amo
E que não vejo?
Oculto nalguma serra,
Nalgum ermo
Ou cidade?

Onde estás
Oh Felicidade
Por quem eu
Suspiro e choro?
Onde estás
Pequeno amor
Pedaço dum sonho perdido?
Onde estás
Ó alma pura
Que eu trago sempre comigo?

Ela assinava como "Ninguém" (Maria Eugénia)


P.S. - Um poema que um dia o meu primeiro amor me escrevera e nas minhas recordações o tenho guardado! E, ainda hoje penso nela, com muito carinho! ZezinhoMota



8 comentários:

PAULA disse...

Que lindo meu querido... desde aquela época vc ja escrevia coisas tão lindas assim?? É DOM mesmo...
Me emocionei :(

Tenha um ótimo final de semana meu querido!!

Vivi disse...

Que lindo meu amigo.
simplesmente maravilhoso.
É tão perfeito que parece que faz parte da minha história e talvez da história de muitos que te leem.
Ás vezes as coisas mais antigas, mais belas e mais simples são as mais importantes.
agradeço a ti que compartilhou algo tão belo e importante seu e da sua his´toria com nos seus leitores.

Abraços e maravilhoso final de semana, fantastico poeta.

su disse...

Há coisas que não se esquecem mesmo e de facto valem a pena sair do bau das recordações.
São como pequenos e belos tesouros que trazemos dentro de nós...fotos de momentos...como este.
O Ninguém será sempre ALGUÉM para ti!

Verônica Martinelli disse...

Ah, obriada pelo seu carinho no meu cantinho!!Ou por simplesmente me visitar,,,tu que escreve tão bem e creio que a mais tempo que eu.

Beijo grande.
Bom Domingo

Fátima disse...

Olá!!
O primeiro amor dificilmente esqueceremos, por muito que passem os anos ficará para sempre guardado num cantinho da nossa memória...........


Deixo-te um beijo e um desejo de um óptimo fim de semana!!!

Bichinho disse...

Nunca se esquece, se guarda apenas no báu das lembranças...beijo fantasma.

Musician disse...

O primeiro grande amor é para toda a eternidade! Sem dúvida...

Simples, mas bonita poesia!

Beijos*

Ana disse...

Que lindo, Zé!


E as imagens uma delícia também!

(roubei-te a das papoilas... espero que não te importes)

Beijo